A importância de ter uma estratégia omnichannel

A importância de ter uma estratégia omnichannel

Muita gente acredita que a loja física, no modelo como é atualmente, está com os dias contados, já que tudo (ou quase tudo) passará a ser comprado pela internet. Exageros a parte, o fato é que o omnichannel é uma realidade. Isso significa que o consumidor hoje adquire produtos e serviços em diferentes ambientes, sejam eles físicos ou virtuais.

Portanto, entram nesse conceito de omnichannel as lojas físicas, o ecommerce, a venda porta a porta, os catálogos, o mobile-commerce, a TV-commerce e tantos outros canais disponíveis ao consumo. Muitas vezes, o que ocorre é uma grande integração entre os canais: o consumidor vê o produto pela internet, mas acaba comprando no ambiente físico, ou vice-versa.

Uma pesquisa realizada em pela multinacional TNS exemplifica bem isso. O relatório Connected Life, que ouviu mais de 56 mil pessoas em 52 países, inclusive no Brasil, revela que 22% dos consumidores brasileiros realizam pesquisas online por preços, utilizando o celular, enquanto ainda estão nas lojas físicas. Está vendo como tudo se mistura?

Por esta razão, as empresas – sejam elas de quais ramos forem – precisam estar atentas à nova demanda. É necessário entender que o consumidor utiliza múltiplos canais de compras, por vezes simultaneamente: ele pode ver um comercial na TV ou ler um post no Facebook e se sentir motivado a comprar.

A força crescente do ecommerce

Uma boa parte das vezes, esse interesse pelo produto ou serviço é atendido de imediato pela internet, com a comodidade de adquirir algo sem sair de casa. Com isso, o nível de compra online no Brasil está atualmente entre 24% e 48%, ainda segundo o estudo da TNS.

Outro dado interessante que mostra a força crescente da internet é um estudo feito pela consultoria PwC. Os números revelam que as redes sociais impactam a decisão de compra de 77% dos consumidores no varejo.

Por tudo isso, é preciso que as empresas adaptem as estratégias de comunicação e marketing além de seus canais de venda convencionais, ou seja, além do ambiente físico. O desafio é trabalhar de forma sinérgica, atendendo aos diferentes anseios do consumidor, seja qual for o canal escolhido, e integrando atendimento, logística e pós-venda.

LEIA MAIS: Tecnologia que utiliza smartphones evita prejuízos no varejo

Deixe um comentário

Your email address will not be published.