Planograma: 6 dicas para melhorar a exposição no PDV

Planograma: 6 dicas para melhorar a exposição no PDV

Quem é que nunca parou na frente de uma gôndola e ficou procurando um determinado produto, mas não o encontrou no local certo? Todos nós, enquanto consumidores, já nos deparamos com esse tipo de dificuldade na hora da compra, algo que poderia ser evitado se o planograma fosse corretamente cumprido no ponto de venda.

O planograma nada mais é do que um planejamento de como os produtos de cada categoria devem ser expostos nas prateleiras. No projeto, entram todo tipo de orientação, tais como quantidade de itens em cada gôndola, tipo e altura de empilhamento, além de organização de acordo com marcas, aromas, sabores etc.

Um bom planograma reúne o máximo de informações possíveis, traçadas de acordo com estratégias planejadas pela equipe da própria indústria ou do varejista.

Entre os objetivos de um planograma está, principalmente, o de melhorar a exposição dos produtos, para que o consumidor se sinta estimulado a comprar mais. Levando em conta que em média 80% das decisões de compra são tomadas no ponto de venda, entende-se a importância do planejamento para o aumento das vendas. Veja algumas dicas importantes.

1. Produtos de maior lucratividade em evidência

Após a captação de todos os dados de categorias e produtos presentes na loja – com avaliações de lucratividade, composição, precificação e nível de vendas de cada um – o ideal é optar por manter os itens que geram maior lucro em evidência. Essas mercadorias devem estar na altura dos olhos, nas chamadas áreas nobres da gôndola, para que o consumidor as vejam com mais facilidade, o que aumenta as chances de compra.

2. Mais vendidos em locais distantes

Os produtos mais procurados pelo consumidor podem ser mantidos mais distantes da entrada da loja e não necessitam ocupar espaços nobres nas gôndolas. A estratégia parte da premissa de que tais itens já são buscados naturalmente, portanto facilitar muito o acesso a eles pode diminuir o tempo de permanência do consumidor no PDV.

Além disso, no trajeto que o consumidor percorre para chegar aos produtos mais vendidos, é possível que ele visualize outras mercadorias que não estavam em sua lista de compras, mas que podem gerar vendas por impulso ou estar relacionadas às suas eventuais necessidades ou desejos.

LEIA TAMBÉM: Como será o supermercado do futuro?

3. Promoções em pontos estratégicos

Para as promoções, as pontas de gôndola são o local mais indicado, pois são de fácil visualização. O mesmo vale para as “ilhas”, aqueles pontos nos corredores centrais das lojas por onde a maioria dos consumidores passa em algum momento. Geralmente, estes espaços são negociados pelo varejista com as marcas, a fim de promover a venda em maior volume de determinado item.

Além disso, os produtos em oferta merecem maior destaque pois podem estar associados à liquidação de itens de baixa rotatividade, com estoque alto ou, ainda, com data de validade próxima do fim.

4. Atenção ao comportamento dos clientes

Mesmo com todas essas orientações gerais relacionadas às áreas nobres e à organização da gôndola, é importante estar sempre atento às mudanças no perfil do consumidor.

Na elaboração do planograma, é fundamental ouvir a opinião de funcionários ou de promotores da loja. São eles que estão frequentemente em contato com os consumidores e podem identificar comportamentos específicos para cada categoria de produto ou mesmo apontar diferentes hábitos de consumo de acordo com a região geográfica, por exemplo.

5. Observação máxima ao gerenciamento por categoria

Dentre os itens que devem ser seguidos no planograma está o gerenciamento por categoria. A partir de dados como volume de vendas, valor de varejo e informações de mercado, tais como marketshare, preço e concorrência, é definido o sortimento ideal de cada loja, dividindo-o por categorias de produtos.

Por meio desses indicadores, é possível, por exemplo, diminuir ou excluir itens com pouca saída e aumentar o espaço para as mercadorias que realmente interessam a determinado público, ou seja, que têm mais procura naquele PDV.

Portanto, o gerenciamento por categoria é extremamente importante para encontrar novas oportunidades de venda, melhorar a experiência do shopper ou, ainda, fidelizar o canal ou rede varejista.

6. Ajuste sua equipe ao planograma

De nada adianta criar diversas estratégias e não manter a equipe de loja capacitada para executar as ações necessárias. Se os colaboradores não forem bem instruídos, seja pela indústria ou pelo varejista, o descumprimento do planograma pode gerar prejuízos tanto na fidelização do cliente como nas vendas.

Portanto, atualize as equipes sempre que houver mudanças no planograma ou introdução de novos produtos, para que isso não afete toda a estrutura do projeto. Com estratégias bem traçadas e excelência na execução, certamente o resultado será comprovado pela performance das vendas.

LEIA MAIS: Importância dos indicadores de trade marketing para o sucesso das vendas

Deixe um comentário

Your email address will not be published.